Gospel

Assine a petição: Esperança para Iraque e Síria; participe!

A Síria e o Iraque têm enfrentado enorme sofrimento em razão da guerra e da violência. A igreja cristã, presente nesses países há 2 mil anos, agora luta para sobreviver. Com sua ajuda, é possível mobilizar a comunidade internacional para garantir que a família da fé tenha um futuro de esperança. O objetivo do ‘Portas Abertas’ é enviar um milhão de assinaturas ao secretário-geral das Nações Unidas e reivindicar três pontos fundamentais para todos os cidadãos:

– Direito à igualdade
– Dignas condições de vida
– Um papel relevante na reconstrução da sociedade

Não podemos ficar de braços cruzados enquanto milhares de pessoas têm de enfrentar as consequências da violência e da perseguição por amor a Cristo

Junte-se a um milhão de vozes de esperança para orar e falar em volume máximo pelos cristãos na Síria e no Iraque. Você pode adicionar sua voz e fazer a diferença? Clique aqui e participe!

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: Portas Abertas

4 comentários

  1. Pr.Arnaldo disse:

    Não é população do Iraque ou da Síria que persegue e uma pequena parte das pessoas no Brasil também tem gente contra mas a democracia garante direitos. E lá também vai ter acordo. Nos cremos na amizades daqueles habitantes em ambas nações Deus abençoe eles. A pronuncia da historia biblica. P.Arnald

  2. Pr.Arnaldo disse:

    Nos dias de Jesus,um endemoninhado, quando viu Jesus disse-lhe, vieste atormentar antes do tempo? era o demônio que falava naquele homem. A igreja de Jesus incomoda as pessoas que dá ouvidos as trevas, e são usados para enfrentar a igreja.A igr.Continua A pronuncia da historia biblica Pr.Arnaldo

  3. A igreja vive dias difícil quase em todos os País.
    Mais as portas do inferno não vai prevalecer contra a igreja de Cristo !

  4. anderon disse:

    infelismente isso so funciona no palpel. Esses tres pontos citados , nao existe, e nunca vai existir
    Direito à igualdade
    – Dignas condições de vida
    – Um papel relevante na reconstrução da sociedade

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*
*

Você tem caracteres para usar.