Brasil

Câmara mantém mandato de deputado preso; Pr. Silas comenta

Deputado foi condenado por peculato e formação de quadrilha pelo STF

Deputado foi condenado por peculato e formação de quadrilha pelo STF

A Câmara dos Deputados deu mostras de que esqueceu a agenda positiva e manteve na noite desta quarta-feira (28) o mandato do deputado Natan Donadon, que foi condenado por formação de quadrilha e peculato, e está preso na Penitenciária da Papuda, em Brasília, por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF).

Numa sessão que foi esticada para tentar recolher o maior número de votos, faltaram 24 votos para cassar o mandato do deputado. Foram 233 a favor da cassação, 131 contra e 41 abstenções. Eram necessários, no mínimo, 257 votos. Donadon, que foi autorizado pela Justiça a se defender em plenário, ajoelhou-se e rezou, com as mãos para cima, logo após saber do resultado.

Apesar da vitória na votação, Donadon não poderá exercer o mandato. Dizendo-se constrangido com o resultado, o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), mandou convocar o suplente de Donadon, Amir Lando (PMDB-RO), em caráter de substituição enquanto durar o impedimento do titular. Alegou que, por estar preso, Donadon não poderá cumprir as funções de parlamentar. Alves foi elogiado pelos poucos parlamentares que ainda estavam em plenário.

Primeiro deputado condenado em último instância, Donadon saiu de camburão da Penitenciária da Papuda para fazer pessoalmente sua defesa no plenário da Câmara. Às 23h15m voltou para cadeia algemado no mesmo camburão, mas ainda com o mandato. “Agradeço a Deus. A justiça está sendo feita”, afirmou Donadon ao deixar o plenário.

A reação foi imediata. “A Câmara dos Deputados está de luto”, disse o líder do PPS, Rubens Bueno (PR). “É um terrível constrangimento. Devemos apressar a aprovação do voto aberto, para não salvarmos futuros deputados”, disse Sérgio Zveiter (PSD-RJ), relator do processo e que pediu a cassação de Donadon.

Alves anunciou que só vai voltar a pôr outro processo de cassação em votação depois de aprovado o projeto que acaba com o voto secreto.

Sessão constrangedora

Quando chegou ao plenário, no início da sessão, Donadon adotou tom religioso. O deputado-presidiário evocou Deus, disse que não é ladrão e que nunca roubou um centavo. Diante dos olhares constrangidos de alguns colegas, o deputado, num longo discurso, descreveu sua situação na cela da Papuda, queixou-se da falta de água e do vaso sanitário. O parlamentar reclamou também que foi obrigado a seguir algemado do presídio para a Câmara e na parte de trás do camburão, e ainda chegou a mandar aos colegas um recado dos presos, que reclamam da qualidade da comida na penitenciária.

A votação começou às 20h30m. Incomodado com baixo quorum, Alves decidiu dar maior prazo para que os parlamentares comparecessem ao plenário e estendeu a votação até as 23h. Às 22h, o painel registrava 405 votantes. No início da sessão, 469 parlamentares tinha marcado presença. Até as 23h, ninguém mais votou.

Donadon saiu da Papuda com autorização da Vara de Execuções Penais de Brasília, assinada pelo juiz Ademar Vasconcelos. Quando foi agendada a votação em plenário, a Câmara formalizou um pedido ao juiz para ingressar na Papuda e notificar pessoalmente Donadon.

Nesse mesmo documento, Alves solicitou que o juiz, se julgasse possível, adotasse as providências cabíveis caso Donadon tivesse interesse em se defender pessoalmente. A sessão começou com a acusação do relator, Sérgio Zveiter. Ele disse que não era uma situação agradável: “Foi uma ação criminosa, um assalto aos cofres públicos. Vivemos um momento histórico, e a sociedade tem o direito de impedir que essa impunidade se alastre”.

Da tribuna, Donadon implorou para não tirassem seu mandato, alegando que sua família passa por dificuldades financeiras. Também acusou o MP de seu estado de só enviar ao STF provas que o condenavam, não as que o absolviam.

Ele contou até que, para terminar o banho de ontem, precisou recorrer a garrafinhas de água de um colega preso.

Donadon é acusado de, em 1997, fazer parte de uma quadrilha que desviou mais de R$ 8 milhões quando era diretor financeiro da Assembleia Legislativa de Rondônia.

O deputado afirmou, ainda, que quem foi condenado como chefe de quadrilha, na ação, pegou seis anos de cadeia.

Donadon fez um apelo final aos deputados: “Amigos deputados, amo minha profissão, amo fazer política. Quantas pessoas culpadas estão soltas por aí?! Pelo mais sagrado, não desviei nada. Deus sabe que sou inocente. Não sou louco de pagar ninguém sem nota fiscal. Não sou ladrão, nunca roubei nada. Por favor, peço a esta Casa que me absolva. Esta Casa é independente. A verdade libertará”.

Quando se esgotaram os 25 minutos a que Donadon tinha direito para se defender, o Henrique Alves pediu que ele encerrasse. Nesse momento, houve uma reação de parte dos deputados que estavam no plenário: “Deixa ele falar! Deixa ele falar!”, gritavam vários colegas.

Após o discurso, Donadon ficou num canto do plenário, cercado por familiares e alguns deputados. Comeu um sanduíche e tomou um suco. Com o plenário esvaziado, pediu a palavra de novo para transmitir recado dos presos da Papuda aos políticos: “Pediram-me para falar sobre a alimentação, que é muito ruim. Peço às autoridades que olhem para isso. Lá não é marmitex. É chamado de xepa. Não é de boa qualidade. Eu também sinto isso, tenho síndrome de intestino irritado”, disse.

No plenário, enquanto aguardava o resultado da votação, Donadon foi encorajado por colegas. O deputado Marcos Rogério (PDT-RO) disse a ele que não haveria os 257 votos necessários para a cassação de mandato.

Antes da sessão, no plenário, o parlamentar foi se encontrar com a família, que estava numa das laterais do plenário. Ele abraçou a filha Rebeca e pediu perdão. Abraçou também o filho caçula, Nathan, que chorava muito. A mulher, Rosângela, e ex-assessores estavam presentes.

A Advocacia Geral da União (AGU) entrou no mesmo dia com ação de reintegração de posse do apartamento funcional da Câmara cedido a Donadon (sem partido-RO) e que ainda está sendo ocupado por sua família.

Poucas horas antes de Donadon ir ao plenário se defender, sua defesa entrou com mandado de segurança no STF pedindo que a Corte anule o ato da Mesa Diretora da Câmara que suspendeu seu salário, verba de gabinete e determinou também a devolução do apartamento.

Imagem: divulgaçãoPr. Silas comenta:

É estarrecedor e vergonhoso para a sociedade brasileira ver um deputado condenado pela instância superior (STF), e ainda a Câmara de Deputados ter que votar se vai cassá-lo ou não. QUE VERGONHA!

A condenação em última instância encerra qualquer discussão, pois como um representante do povo, condenado por roubo, pode continuar em seu cargo? A própria Constituição já prevê perda de cargos públicos para os condenados em última instância, onde não cabe mais recurso. Isto é um ensaio da “banda podre” do Congresso Nacional sinalizando o que pretendem fazer com os deputados condenados no mensalão, onde o STF está analisando os últimos recursos.

Para vergonha do Brasil e do Congresso Nacional, o único país no mundo onde deputado ladrão e corrupto continua com mandato. É bom ressalvar para não cometermos injustiças que 233 deputados federais votaram a favor da cassação. E esperamos que o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) mantenha a sua postura louvável de só colocar em votação outros casos de cassação de mandato quando for aprovada a obrigatoriedade do voto aberto.

HOJE É UM DIA TRISTE NA HISTÓRIA POLÍTICA BRASILEIRA! DEPOIS RECLAMAM DA REVOLTA DO POVO.

147 comentários

  1. ISSO ´´E UMA VERGONHA,VIVEMOS EM UM PAÍS ONDE QUEM ROUBA MILHÕES FICA LIVRE E QUEM ROUBA UM POTE DE MANTEIGA VAI PARA CADEIA,ACHO QUE AS LEIS TEM QUE SER PRA TODOS…QUE VERGONHA.

  2. felipe disse:

    Isso e uma vergonha que moral eles tem.

  3. gislene disse:

    Ta dificil….complicado….Pessoas que não tem temor á Des

  4. si o marcos feliciano esteve ausente e justificavel,nao vamos julgar quando qualquer pessoa tem um compromisso e nao tem como falta,nao tem como ficar no local esperando,nao quero julgar antes dos fatos,muitos ja estao julgando o parlamentar.dando legalidade ao ativistas para o perseguirem,acho melhor alguns vigiarem no que comentam,principalmente alguns irmaos de cabeça fraca.

  5. nao e so o domladrom que tem que ir preso nao,o pessoal do Pt tambem tem que está na forca,jose dirceu,e toda turma,eles(o pt) tambem lesaram o pais e estao solto conforme nao estivessem acontencendo nada e ainda ganharam cargo em comissoes,é por essa e outras que o brasil nunca vai ser país de primeiro mundo,nem sonhando.o unico que vai preso é ladrao de feijão,manteiga, e galinha………..fala sério.

  6. e uma vergonha para o nosso pais concordo com o pastor silas quem tem que se calar e o povo por que se falar alguma coisa ainda vai preso

  7. Randerson disse:

    Marco Feliciano ‏@marcofeliciano 29 ago

    6) A votação de Cassação iniciou as 20:30h. As 20:39h eu ja havia embarcado. Por este motivo não participei da votação. :)

  8. thuanny araujo disse:

    Se ele continuar em seu cargo vai ser a maior vergonha e tolisse.. Sera a mesma coisa que deixar um estrupador cuidando de criancas!!!

  9. Marcos Vanderlei disse:

    Este “safado” do Donadon, rouba dinheiro público e ainda diz: “justiça está sendo feita”, mas é um cara de pau mesmo.

  10. MAILSON SILVA disse:

    Esse deputado safado, ainda ajoelha-se e reza, querendo demonstrar ser um “religioso”, arrependido…. Mas, Graças a Deus ele será cassado. Falta apenas tomar dele todos os bens adquiridos com o dinheiro roubado e ressarci todo o dinheiro com juros e correção monetária. Quanto a família dele que usufruíram desse dinheiro, Deus sabe o futuro deles.
    Vi o ímpio com grande poder espalhar-se como a árvore verde na terra natal.
    Mas passou e já não aparece; procurei-o, mas não se pôde encontrar

    Salmos 37:35-36

  11. Marcio disse:

    continuarei votando se não tentarmos mudar as coisa podem ficar pior

  12. MAILSON SILVA disse:

    A Paz de Cristo! Assisti a votação e defesa do deputado. É revoltante, humilhante e assistimos estarrecidos o desenrolar da sessão. A que ponto a política e seus representantes chegaram. Ignoram as leis existentes na constituição do País. Os covardes escolhem a abstenção. Dá até pra desconfiar tal atitude. Há Jesus, se não fosse a tua infinita misericórdia. Faz-me lembrar a passagem em Josué cap.7, quando Acã pegou a capa babilônica e escondeu em sua casa. Continua…

  13. Sem dúvida é lamentável todo esse acontecimento, não concordo com os baderneiros mas será que eles são piores do que esses ladrões e cumprisses ? Bem nas nossas caras e não podemos fazer nada ? Muito feliz em seu comentário Pr Silas Malafaia, DEUS o abençoe poderosamente.

  14. Donalvis disse:

    TANTA CRIMINALIDADE SOLTA EM NOSSO PAÍS E AINDA VEM PEDIR VOTO O ANO QUE VEM ESSES POLÍTICOS? VAI VER SE ESTOU NA ESQUINA! FAÇAM LEIS PARA BARRAR ESSA CRIMINALIDADE DE TODA ESPÉCIE QUE TEM NESTE BRASIL! ASSIM POÇO DAR MEU VOTO!

  15. miguel wesley disse:

    Feliciano nunca me representou!!!
    É uma vergonha uma pessoa que se diz cristão ser conivente com esses bandidos.
    Os deputados condenados pelo mensalão deveriam seguir o exemplo da China…

  16. Rafael disse:

    Pq o pastor não fez uma campanha pra enviar e-mails pros deputados, como vez nos outros casos?

  17. Birajara Ramos disse:

    Esse país é uma vergonha!!

  18. valéria Duarte Pinto disse:

    Sou evangélica e como tal me sinto com liberdade para questionar: Porque a Igreja não se posiciona? Estamos vendo o país vivendo um momento extremamente delicado, muita coisa pode mudar para pior, e o povo que deveria ser o sal da terra se cala? Um dos poucos que tem coragem de se manisfestar é o Pr. Silas Malafaia, onde está o resto da Igreja? Será que está satisfeita com a situação?

  19. Fernando disse:

    É vergonhoso para a politica brasileira, um condenado ainda continua no cargo, é triste.

  20. silvane disse:

    lamentável !!! mas devemos protestar …..

  21. ka disse:

    O pastor Marco Feliciano postou uma nota esclarecendo o motivo pelo qual nao estava na hora da votaçao.Ele disse que ja tinha uma viagem agendada e que ficou no plenario até quando foi possivel,mas com hora de voo marcado teve que se ausentar,disse ainda que a votaçao atrasou e nao pode esperar.Tomara que seja verdade.!!

  22. Marcos Guimarães disse:

    Vocês estão lembrados do ex-deputado José Arruda , o mesmo teve a cara de pau de se defender no congresso fez um chororô e foi absolvido, foi eleito anos depois Governador ou Prefeito do D F e,como era de se esperar foi afastado por assaltar os cofres Públicos . Acho que neste País o crime compensa,mas nem por isso eu venderei minha alma pro diabo.

  23. Marcos Morais disse:

    O PASTOR MARCO FELICIANO SE ABSTEVE DE VOTAR A FAVOR DA CASSAÇÃO???? ALGUÉM CONFIRMA ESSA INFORMAÇÃO POR FAVOR!!!

  24. Fabio Henrique disse:

    É Estarrecedor e Vergonhoso o Marco Feliciano não cumprir com sua obrigação e dever de deputado e se abster de votar a favor da cassação do Donadom.
    VERGONHAAAA MARCO FELICIANO!!!!
    Achava que Marco Feliciano me representava…

  25. LINDOVAL TEIXEIRA disse:

    É lamentavel como o povo brasileiro é feito de troxa, acho que eles levam a pé da letra pelo fato de o simbolo da justiça brasileita ter a vendas nos olhos como se diz que “a justiça é cega”.

  26. graca rocha disse:

    Pastor silas o senhor tenhe razao,isso e una vergonha mesmo,eu sou muito orgulhoso de ser brasileira mas quando sinto falar dessas coisas eu mim vergonho,vivendo na Alemanha onde a polica e muito diferente,posso so dizer que e uma vergonha.

  27. paulo sergio alinski disse:

    Infelizmente eu não votarei em nenhum politicos mais e fim de papo…

Comentários encerrados.