Colunistas

Cristão pode sentir inveja?

Inveja pode ser definida como um desgosto ou pesar pela felicidade de outrem, e/ou uma vontade incontrolável de ser como essa pessoa é, ter o que ela tem e fazer o que ela faz.

De acordo com o que o autor do Salmo 73 revela, a inveja produz pelo menos quatro problemas a quem a alimenta: um coração amargurado, doenças emocionais, estado de ignorância e declínio espiritual.

Além disso, a inveja causa perturbações emocionais e doenças orgânicas, porque a pessoa dominada por esse sentimento negativo costuma descarregar uma grande quantidade de adrenalina e cortisona no sangue, engrossando-o, aumentando a atividade do coração e o risco de infarto e derrame. Isto pode resultar em problemas de hipertensão e doenças cardiovasculares.

A inveja também provoca sobrecarga emocional, a qual pode levar uma pessoa a sofrer transtornos de ansiedade, baixa imunidade e doenças como asma, úlcera péptica, artrite reumatoide, neurodermatites (alterações crônicas da pele).

Todos nós, em algum momento da vida, por admirar alguém ou desejar bênçãos semelhantes, já sentiu uma pontinha de inveja. O problema é quando a inveja faz ninho no coração de alguém e passa a ditar nossa forma dele de pensar e relacionar-se consigo mesmo e com os outros.

A comparação excessiva com o outro costuma levar o invejoso a ter baixa autoestima, amargura, ressentimento e pesar pelo bem alheio. Isso normalmente é expresso quando ele ridiculariza ou fala mal de outrem, denegrindo-lhe a imagem.

O autor do Salmo 73 confessa que teve o seu entendimento embrutecido pela raiva e amargura. Isso quase o levou a afastar-se de Deus e à derrota espiritual. Faltou pouco para ele se desviar dos caminhos do Senhor e dar lugar ao mal. Isso só não ocorreu porque Deus o sustentou (v. 23b). Então, ele se reaproximou do Senhor, e foi restaurado à comunhão (v. 28.).

Quando o salmista percebeu que estava sendo influenciado por algo que o levaria à derrota e a uma vida infeliz, deu três passos decisivos para vencer a inveja: controlou os seus impulsos, fez uma análise introspectiva, para entender a situação em que estava envolvido, e entrou no templo para buscar Deus. Então, o Senhor o guiou com Seu conselho (Salmo 73.24) e permitiu-lhe compreender o ¬ m dos ímpios (v. 17-20).

Valorize os dons e talentos que Deus lhe deu. Seja grato pelo modo como Ele lhe fez e pela missão que lhe con¬fiou. Não tenha o teu coração inveja dos pecadores; antes, sê no temor do SENHOR todo o dia (Provérbios 23.17). Submeta-se a Deus em amor. Obedeça à Sua Palavra. Adore-o não só pelo que Ele lhe dá, mas por quem Ele é: o Rei dos reis e Senhor dos senhores; o Criador e Salvador da humanidade.

Com certeza, Ele não lhe deixará faltar nada se você permanecer fiel a Ele!

SUGESTÕES DE LEITURA

Salmo 73; Provérbios 14.30; 27.4; Marcos 7.21-23; Romanos 13.13;

Pr. Silas Malafaia

Pr. Silas Malafaia é psicólogo clínico e conferencista internacional.

Veja outros artigos deste colunista

4 comentários

  1. Marcos Guimarães disse:

    A própria definição exposta acima já adverte ao Cristão que ele não deve alimentar tal sentimento,pois o mesmo o afastaria de Deus e aí o Tentador terá o caminho livre para fazer o que lhe é peculiar,que é:Roubar,Matar e Destruir.

  2. Francisco Caloia Alfredo disse:

    Louvado seja Deus pelo facto do Pr. Silas ter sido o instrumento de Deus para expandir os propósitos de Deus, o Todo-Poderoso. Tenho procurado visitar sempre que posso o sitio do Verdade Gospel e do Vitória em Cristo, mesmo a partir do meu país, Angola.

  3. Adailton Soares disse:

    Sábio discernimento Pr.Silas! Afinal, aquele que Nele crê jamais será confundido! Inveja é coisa de ímpio. Cristão de verdade, vive mergulhado nas águas vivas que brotam do Trono de Deus! Abraços fraternos!

Comentários encerrados.