Gospel

Dia 8 de setembro será decisivo para pastor Yousef Nadarkhani

Em menos de duas semanas, o cristão Yousef Nadarkhani enfrentará novo julgamento no Irã. Marcado para o dia 8 de setembro, a corte deve recebê-lo após mais de 1.060 dias em que ele esteve na prisão por nenhuma outra razão se não sua fé em Jesus Cristo – uma prisão que viola a própria Constituição iraniana.

Em sua convocação mais recente aos tribunais iranianos, o pastor Yousef Nadarkhani, 35 anos, foi intimado a comparecer à corte para enfrentar as “acusações feitas contra ele”.

A referência evasiva à acusação de apostasia de Nadarkhani, questionada internacionalmente, é recebida com “nenhuma surpresa” por Jordan Sekulow, conselheiro executivo do American Center for Law and Justice, ACLJ, que acompanha o caso desde o início.

“O Irã tem tentado repetidamente confundir a comunidade internacional, alegando que o pastor Yousef não é nada mais do que um criminoso comum. O que acontece é que se o Irã tiver sucesso mascarando o caso de Yousef, o mundo vai parar de gritar por sua libertação”, disse Sekulow ao The Christian Post via e-mail, no dia 16 de agosto.

“Depois que conseguimos tornar público o veredito de tribunais tradicionalmente secretos, no qual o pastor Yousef foi julgado e condenado apenas por ter se convertido ao cristianismo, o Irã teve de voltar atrás em suas mentiras”, acrescentou.

Na intimação judicial, Nadarkhani é convocado a comparecer à audiência de 8 de setembro, às 9h, horário local.

O pastor que, inicialmente recebeu uma sentença de execução sob a acusação de apostasia, permaneceu na prisão por 1.060 dias, situação que, de acordo com o ACLJ, viola a própria Constituição iraniana.

“A detenção indefinida e arbitrária do pastor Yousef, por quase três anos, viola o artigo 9º do Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos, do qual o Irã é obrigado a seguir”, disse Sekulow ao CP.

“As próprias leis do Irã exigem que o Judiciário emita sua decisão por escrito no prazo de dez dias após a audiência, realizada em setembro de 2011. Sua incapacidade de fazê-lo significa o seu total desrespeito ao Estado de Direito”, continuou Sekulow. “O Irã também parece ignorar que o caso de Yousef tenha causado grande dano à reputação do Islã e às relações entre as nações e pessoas de fé em todo o mundo”, concluiu.

Como tudo aconteceu

A esposa Pasindedih e os dois filhos do pastor iraniano aguardam por melhores notícias

Yousef Nadarkhani foi preso em outubro de 2009, acusado de apostasia e propagação do evangelho a muçulmanos.

Em setembro de 2011, a agência iraniana de notícias semi-oficial, Fars News, informou que Nadarkhani foi a julgamento por acusações de estupro, extorsão e sionismo.

Documentos do tribunal que vazaram dias depois esclareceram que Nadarkhani foi, de fato, julgado por apostasia; críticos suspeitam que o relatório falho da Fars News não passa de uma tentativa de aliviar a pressão internacional sobre as acusações baseadas na fé e religião de Nadarkhani.

Países, incluindo Grã-Bretanha, Estados Unidos e Brasil, têm se pronunciado a favor da libertação de Nadarkhani.

Embora a intimação judicial mais recente implique na possibilidade de a acusação contra Nadarkhani sobre apostasia ser descartada, Sekulow disse ao CP que não conta com isso.

“Nós não temos nenhuma informação de que o governo absolveu o pastor Yousef da acusação de apostasia, para a qual ele foi condenado à morte. O regime iraniano tem sido repetidamente desonesto no passado. Até vermos Yousef andando livremente, não podemos confiar em nada do que dizem”, ressaltou.

Nadarkhani continua na prisão, aguardando a data decidida pela corte; enquanto sua esposa, Fatema Pasindedih, e seus dois filhos, esperam por melhores notícias.

Após passar por prisões em 2006 e 2009, o pastor Yousef foi preso em junho de 2010 sob a acusação de apostasia, liderar igrejas domésticas e proselitismo a muçulmanos. Em setembro do mesmo ano foi condenado por um tribunal regional à morte por enforcamento. Por causa da pressão internacional, a sentença ainda não foi colocada em prática. O Jornal Nacional chegou a repercutir o caso.

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: Portas Abertas

Veja a reportagem feita pelo Jornal Nacional:

51 comentários

  1. J.Francisco disse:

    O que fazer quando o extremismo islâmico deseja calar os infiés?(todos os que não aceitam a fé islâmica).Está escrito:Sujeitai-vos,pois,a Deus;resisti ao diabo,e ele fugirá de vós.Se o amado Pastor Yousef está sendo provado por Deus,com certeza ,o Senhor tem um propósito.

  2. valdemir disse:

    se o ira esta violando o pacto internacional dos direitos civis e politicos nao e so caso de oraçao nao um pais como o ira nao pode afrontar o mundo os outros paises tem que agir em favor da lei se isso nao acontecer vai ser vergonhoso para o mundo a vitoria de um pais minusculo contra o mundo isso seria o caos

  3. Marcio disse:

    Queridos irmãos, estejam intercedendo incessantemente pelo Pastor Yousef Nadarkhani; hoje está ocorrendo julgamento decisivo no Irã. Creio em Jesus pela libertação deste servo do Senhor que não tem negado o nome de Cristo, mesmo mediante a ameaça de morte por enforcamento. Creio ainda mais: que sua libertação será como uma “bomba atômica celestial”, que irá sacudir as estruturas religiosas daquele país, para que muitos venham reconhecer e crer que JESUS CRISTO É O SENHOR!

  4. Segundo livros das cronicas cap 7 vcs 14 e o 15. vamos continuar orando e o nosso DEUS vai se responsabilizar, DEUS é e sempre será a nossa força.

  5. Jesus disse:

    Eu acabei de ver pelo facebook que fizeram a execusão, será verdade?
    Vi agora, as 13:50.
    Quem sabe se é verdade. pois ainda estou orando pra ele ser liberto.

  6. Diosino Matos disse:

    HISTORICAMENTE, QUANDO UM HOMEM DE DEUS ENFRETOU
    SITUAÇÃO COMO ESTA, A IGREJA CUNPRIU COM O SEU PAPEL,
    NESTE CASO NÃO PODE SER DIFERENTE, VAMOS ORAR OU VAMOS
    PROCURAR DISCULPAS.

  7. Rodrigo Coutinho disse:

    Infelizmente este caso não é o primeiro e nem será o último. É esperada esta perseguição, muito embora ela só venha acontecendo desta forma no Oriente atual, podemos esperar sim dias em que não teremos mais a liberdade em presidir cultos nos lares ou até nas igrejas protestantes e católicas em nosso país; todavia tudo isso será parte do cumprimento das Escrituras Sagradas sobre a situação dos últimos dias. Tudo o que podemos fazer hoje é intensificar nossos trabalhos evangelísticos e orar.

  8. rodrigo disse:

    A paz de Cristo a todos, pricipalmente a família do Pr Yousef. Essa situação é terrível, não sei se teria força para passar por ela. Mas tbm sei, que DEUS, não da além do que podemos suportar. Lembremos de José no Egito. Ele tinha uma missão. Que DEUS possa dar força e fé ao pastor Yousef para combater o bom combate. Vamos estar orando. Um ósculo santo a todos.

  9. Maicon disse:

    Ao invés de pedir a DEUS para salva lo, peça a DEUS para que ELE faça a vontade DELE, e o que vier acontecer tenha sido para glória de DEUS e que através do fato a ocorrer muitas coisas possam ir mudando.Estamos vendo só uma parte do problema este homem é mais um entre tantos que vive este problema.Países como a Africa,Japão,Russia e muitos outros esperam por todos aqueles a quem foram chamados.Usem suas armas de maneira correta. Pois a hora é chegada e ae de todos nós.Sem amor,não ha salvação.

  10. John disse:

    Francisco José Rabelo
    Meu irmãozinho, não viaja…NENHUM PARTIDO POLÍTICO QUE TENHA OCUPADO O PODER NO BRASIL RESOLVEU ENCARAR O EXTREMISMO ISLÂMICO, PORTANTO “NÃO É CULPA DO PT”.

  11. Rodrigo/AVEC disse:

    Vamos orar,em favor desse homem de DEUS.Ele esta sendo acusado injustamente e esse julgamento foi plantado para ocusar ele,não de crimes,mas pela simples opção dele religiosa.Vamos interceder a favor desse homem,que é corajoso em pregar o evangelho no país onde existe uma lei desumana que é claramente usado pelo inimigo para que as mensagens do reino de DEUS não chegue nos ouvidos das pessoas.

Comentários encerrados.