Mundo

Governo chinês discute fim da política de filho único até 2015

Uma instituição de pesquisa do governo chinês está instando os líderes do país a começar a revogação da limitação das famílias do país a um filho por casal imediatamente, permitindo dois filhos por casal a partir de 2015. Informou matéria traduzida no site da Folha nesta quinta-feira (1º).

Trata-se de uma ideia audaciosa para derrubar uma política que sempre foi impopular.

A Fundação de Pesquisa sobre o Desenvolvimento da China informou que a versão final de seu relatório será divulgada dentro de poucas semanas. Mas a mídia estatal chinesa recebeu cópias preliminares.

A agência oficial de notícias chinesa, Xinhua, informou que a fundação recomenda que as famílias de algumas províncias sejam autorizadas a ter dois filhos já – a nova norma valeria para o país inteiro em 2015. Todas as restrições ao número de filhos por casal devem ser revogadas em 2020, nos termos da proposta.

A China pagou um preço elevado pela medida, que resultou em conflito social, altos custos de administração e um desequilíbrio entre o número de homens e o de mulheres, disse a Xinhua.

Ainda que sejam definidas resumidamente como “um filho por casal”, as normas reais chinesas são mais complicadas.

O governo restringe a maioria dos casais urbanos a uma criança, e permite duas crianças para as famílias rurais caso a primeira a nascer seja uma menina.

Existem numerosas outras exceções, além dessa, entre as quais regras mais frouxas para as famílias de minorias étnicas e um limite de duas crianças para casais que sejam formados por filhos únicos.

Cai Yong, professor de sociologia na Universidade da Carolina do Norte em Chappel Hill, afirma que o relatório tem peso especial porque o instituto de pesquisa opera sob o controle do Conselho de Estado.

Ele disse que considera notável que demógrafos empregados pelo Estado sugiram a mudança.

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: Folha

9 comentários

  1. Rodrigo/AVEC disse:

    Débora Machado,só fiz comentário baseado no que eu vejo nas ruas desta cidade Rio de Janeiro,onde crianças ficam mendigando ou até cometendo pequenos roubos e furtos para sobreviver ou são forçados pelos “pais”.Não citei que concordo com a política chinesa,apenas disse que existe pais irresponsáveis,ou você na janela do carro não vê a situação dessas crianças??

  2. RONALDO disse:

    DEUS CRIOU O HOMEM PARA PROCRIAR, CLARO, COM CONSCIÊNCIA, O QUE O GOVERNO CHINÊS TEM QUE FAZER, É DEIXAR DE SER ARROGANTE, AO PONTO DE TAL FALTA DE RESPEITO, CONTRA O CIDADÃO CHINÊS, HÁ OUTROS MEIOS PARA SE CONTROLAR A TAXA DE NATALIDADE, UM EXEMPLO,, POLITICAS DE REEDUCAÇÃO ATRAVÉS DE INFORMAÇÕES. QUE O SENHOR NOSSO DEUS, QUEBRE ESSE JULGO DESSES DITADORES, EM NOME DEJESUS.’

  3. Manoel disse:

    Sou a favor do controlhe familiar por parte do casal, existe os preservativos, não por imposiçõa de governantes, menos fazer este controlhe através de abortos, aborto é crime hediondo.

  4. Débora Machado disse:

    Olá!!! Sou a favor do controle de natalidade por opção e responsabilidade ! e acho essa política ridícula!!!! Quantas crianças foram mortas e abortos ocorreram?? A custo de que???? Prefiro políticas de conscientização,. Lembrando Rodrigo AVEC que essa política vale p/ todas as classes sociais… !!!! E as consequências nessa sociedade são gritantes pois sem irmãos, primos e tios…. o convivío em familiar fik ameaçado !

  5. ezer tandas disse:

    A Índia tem cerca de 200 milhões de habitantes que a China e não tem lei absurda desse tipo! A China assassina milhões de crianças mediante aborto autorizado por essa lei satânica.

  6. HUMMMbertoh disse:

    Cristãos não devem fazer controle de filhos, mas deixar que Deus administre este assunto. OS FILHOS SÂO HERANÇA DO SENHOR…Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava (Sl 127). Na Europa, a população cristã está sumindo, enquanto o nº de muçulmanos está se multiplicando velozmente. Em pouco tempo a Europa terá maioria muçulmana e os sinais do cristianismo serão apagados na Europa. Isso já aconteceu em outras países, que outrora eram cristãos e não são mais.

  7. Alerrandro Diego Martin disse:

    Um mundo com 510,3 milhões de km² que produz alimento suficiente para alimentar cada pessoa 3 vezes ao dia, com desperdícios tecnológicos e naturais de toda a espécie não pode aumentar sua população? O erro está em que alguns políticos e a “alta classe” querem viver como Deus e muitos pobres não tem instrução para sobreviver nesse “mundo criado para alguns” e exigir seus direitos humanos. Para não abortar ou microabortar, não façam sexo ou, então, usem camisinha.

  8. HUMMMbertoh disse:

    Está provado pela matemática que se o número de filhos por casal for inferior a 2 (em média), a população vai diminuir. Enquanto o nº de velhos crescerá (pessoas não economicamente ativa), já o nº de jovens e adultos (pessoas em atividade econômica) diminuirá. Pergunta-se: E quem pagará as contas das aposentadorias? Essa é a razão oculta para a China mudar sua política de um (1) filho por casal.

  9. Rodrigo/AVEC disse:

    Sou a favor que o casal só tenha 1 filho,ou nenhum se o casal não tiver condições financeiras ou estrutura familiar decente.Por que colocar filho no mundo para sofrer também não é uma conduta nem inteligente e nem aprovada por DEUS.Agora se o casal tiver condições financeiras,emocional e base sólida familiar,pode sim ter até mais de 2 filhos.

Comentários encerrados.