Brasil

Limite para financiar imóvel com FGTS passará a R$ 1,5 milhão, diz ministro

Henrique Meirelles, ministro da Fazenda, disse que a reforma da previdência é uma necessidade porque as pessoas estão vivendo mais tempo aposentadas e alguém tem que pagar por isso

Henrique Meirelles, ministro da Fazenda, diz que vai aumentar o limite do valor dos imóveis financiados com FGTS. ele também afirmou que a reforma da previdência é uma necessidade porque as pessoas estão vivendo mais tempo aposentadas e alguém tem que pagar por isso

O ministro da Fazenda,  disse que vai aumentar o limite de valor de financiamento de imóveis com o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Meirelles falou com exclusividade à ‘GloboNews’ nesta quarta-feira (15). Segundo o ministro, é possível melhorar o financiamento da casa própria com o FGTS. “Estamos aumentando esse limite, de cerca de R$ 850 mil ou R$ 950 mil, dependendo da cidade, para R$ 1,5 milhão, para permitir a compra da casa própria. A classe média será beneficiada”, afirmou. “Poderá não só sacar das contas inativas como utilizar recursos das contas ativas”, acrescentou.

Ajuste fiscal 

Meirelles disse que o ajuste fiscal vai ajudar a tirar o país da terapia intensiva. “O mais importante é o emprego, a inflação e a renda. Isso atinge toda a população. Em consequência das medidas de ajuste fiscal, de política monetária, já estamos vendo a inflação caindo, o que aumenta o poder de compra da população. Com isso, o medo do desemprego vai diminuindo. A taxa de desemprego vai começar a cair já no segundo semestre de 2017. Será perceptível pela população. Em resumo: haverá segurança no emprego, crescimento, aumento da renda e inflação baixa”.

De acordo com o ministro da Fazenda, não é preciso ficar preocupado com o ajuste fiscal. Para ele, o país vai voltar aos trilhos. “O que atinge o bolso é inflação, a renda, e as disponibilidades de emprego e de tomar empréstimo. Tudo isso está melhorando. É algo que a população está começando a entender mais. A população precisa ter disponibilidade de ter renda, de crescer e de fazer escolhas, e não ser tutelada por um governo ineficiente. Manifestações mostraram isso desde 2013, querem governos eficientes e que funcionem”.

PEC do teto dos gastos 

Meirelles falou ainda sobre os gastos do governo. “A PEC do teto, que estabelece limite do gasto, vale por 10 anos. O presidente pode no 10º ano apresentar um novo critério. Mas existe um horizonte bem definido. Há pisos para aplicação em educação e saúde. O orçamento é equilibrado, e vai beneficiar a população. O governo vai diminuir de tamanho, e vai sobrar mais recursos para a sociedade”.

Reforma da previdência 

Sobre a reforma na Previdência, o ministro repetiu que o melhor é estar seguro de receber o benefício da aposentadoria. “Aqueles que têm faixas de renda mais baixas se aposentam mais cedo. Para esses, não fará diferença. Eles vão se aposentar aos 65 anos. Mas para faixas de renda maiores, a mensagem é muito importante. Muito estados e países mostram que a previdência quebra sim. O maior problema é não pagar a aposentadoria. É mais importante ter segurança de receber”.

Segundo Meirelles, o governo vai discutir a reforma da Previdência no Congresso, mas não vai abrir mão da idade mínima da aposentadoria, de 65 anos. “A expectativa de vida do brasileiro está aumentando muito. Estamos num quadro em que cada vez mais as pessoas estão vivendo mais tempo aposentadas. O déficit da Previdência está aumentando muito. O povo tem que saber que alguém tem que pagar a aposentadoria e quem paga são os cidadão brasileiros”.

Terra para estrangeiros 

Meirelles afirmou ainda que o governo se prepara para autorizar a venda de terra para estrangeiros. “Vamos liberar, nos próximos 30 dias”, antecipou. “O Brasil precisa de crescimento e de investimento. Agronegócio foi a área que mais cresceu em janeiro. Temos que investir, gerar mais empregos”, explicou.

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: G1