Brasil

Ministro Barroso, do STF, volta a defender redução do foro privilegiado

O  ministro deu palestra sobre Lava Jato e impacto no direito em evento nesta sexta em SP. Ele falou que parte do judiciário está comprometida com 'velha ordem' de que rico não pode ser preso

O ministro deu palestra sobre Lava Jato e impacto no direito em evento nesta sexta em SP. Ele falou que parte do judiciário está comprometida com ‘velha ordem’ de que rico não pode ser preso

O Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, voltou a defender nesta sexta-feira (18) a redução do foro privilegiado. A declaração ocorreu durante palestra no Insper, instituição de ensino superior na Zona Sul de São Paulo que atua em áreas como, por exemplo, o direito. O tema do seminário foi o ‘Sistema de Justiça e os Novos Desafios’, organizado pelo site Jota.Info.

Entre os assuntos abordados estava a discussão de como os avanços da Lava Jato estão impactando o direito. A Lava Jato é uma operação realizada pela Polícia Federal (PF) para combater a corrupção, envolvendo principalmente políticos.

“É preciso restringir drasticamente o foro por prerrogativa, os processos que tramitam no Supremo, o sistema de foro por prerrogativa e os julgamentos perante o Supremo compõem um sistema que é feito para não funcionar. E ele cumpre o seu papel. Ele não funciona”, disse Barroso, que em maio deste ano votou no STF a favor da limitação do foro privilegiado. Ele defendeu que a prerrogativa abarque somente casos ocorridos durante e em razão do cargo ou mandato, não atos anteriores das autoridades.

Quatro dos 11 ministros do Supremo são favoráveis a limitar somente para atos ligados ao cargo o chamado foro privilegiado, direito que parlamentares e ministros têm de serem investigados e processados criminalmente apenas na Corte. Não há data para a continuidade do julgamento e uma decisão final do STF que venha a mudar a atual regra.

Atualmente, qualquer ocupante de cargo de ministro no governo ou mandato parlamentar só pode ser investigado ou processado criminalmente no STF, por atos que tenha praticado em qualquer tempo.

Nesta semana, o juiz Sérgio Moro, uma das principais figuras da Lava-Jato, também falou em outro evento em São Paulo sobre a questão do foro privilegiado. Segundo ele, “tem presente a necessidade da redução do rol de pessoas que tem direito a esse privilégio”.

‘Velha ordem’

Ainda em São Paulo, Barroso disse que, apesar dos avanços, o Brasil ainda é um país comprometido com a ‘velha ordem’, que está presente até mesmo na Justiça.

“E a sociedade tem pressionado… eu acho que o judiciário vem mudando… ele não vem mudando linearmente. Não é todo judiciário que está imbuído desse compromisso. Ainda existe muita gente comprometida com a ‘velha ordem’. Com a ‘velha ordem’ de que rico não pode ser preso, de que colarinho branco não é crime grave. E esta cultura da desigualdade que campeia no Brasil e ainda não foi superada nem no âmbito do judiciário”, falou Barroso.

Salários no judiciário

Barroso também comentou a falta de transparência nos salários dos membros do poder judiciário.

“Começo sobre alguns problemas do Judiciário com evidentemente as superficialidades que as nossas circunstâncias de tempo e a natureza da nossa conversa me permite. Eu destaquei 3 problemas que acho que hoje na percepção pública e na percepção de quem está dentro merece uma reflexão”, disse o ministro. “A primeira é a falta de transparência na remuneração no âmbito do Judiciário. Eu acho que esse é um tema que precisa ser enfrentado. Eu não tenho uma visão corporativista da vida…Isso incomoda a sociedade e a gente precisa debater”.

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: G1

5 comentários

  1. Marcio Pedro da Silva disse:

    Boa !

  2. Neuzimar Gomes Silva disse:

    É NECESSÁRIO TIRAR ESSE FORO PRIVILEGIADO DE POLÍTICO CORRUPTO E CRIAÇÃO DE LEIS MAIS SEVERAS PRA ESSE TIPO DE CRIME DO QUAL O BRASILEIRO TEM SIDO VÍTIMA DE ROUBO DESDE O SEU NASCIMENTO. AÍ PODEMOS VOLTAR TER NOSSA ESPERANÇA DE UM PAÍS MELHOR.

  3. mauro disse:

    EM UM PAÍS SÉRIO FORO PRIVILEGIADO NÃO…ISSO SÓ EXISTE EM PAÍSES CUJA LIDERANÇAS TEM FOCOS CLAROS EM PREJUDICAR AS PESSOAS DE BEM QUE PAGAM ALTOS TRIBUTOS PRA MANTER DELINQUENTES POLÍTICOS QUE ESTÃO NO PODER E ELES MESMO FABRICAM LEIS PRA FACILITAR ROUBOS E ESCRAVIZAR AS PESSOAS IDIOTIZADAS….FORA

  4. João Guilherme disse:

    Eu acho que deveria acabar com foro privilegiado, até porque todos são iguais perante alei. O foro privilegiado para algumas autoridades serve apenas para livra-lo das coisas erradas que eles fazem.

Comentários encerrados.