Brasil

Pedofilia: Detidos em megaoperação eram ‘pessoas acima de qualquer suspeita’

A operação, batizada de Luz na Infância 2, aprendeu mais de um milhão de imagens com pornografia infantil

A operação, batizada de Luz na Infância 2, aprendeu mais de um milhão de imagens com pornografia infantil

Uma megaoperação realizada nesta quinta-feira (17) e coordenada pelo Governo federal prendeu 251 pessoas suspeitas de pedofilia e divulgação de pornografia infantil em todo o país. Foram cumpridos 579 mandados de busca e apreensão contra centenas de pessoas suspeitas de armazenarem e divulgarem imagens e vídeos de crianças e adolescentes sendo abusados sexualmente. Segundo o Ministério da Segurança Pública, essa é a maior operação contra a pedofilia desenvolvida em um único dia no mundo.

Os presos, segundo o delegado Alessandro Barreto, coordenador do laboratório de inteligência cibernética do ministério, eram “pessoas acima de qualquer suspeita”. Foram detidos em flagrante estudantes, aposentados, autônomos, advogados, educadores e profissionais da área de saúde. O perfil detalhado dos detidos ainda será levantado, quando forem concluídos todos os mandados expedidos pelas Justiças de 24 Estados e do Distrito Federal. “Localizamos pessoas que estavam armazenando uma quantia considerável de material criminoso. O decorrer das investigações vai apontar se havia uma articulação entre elas, se havia algum elo entre um e outro suspeito”, explicou o delegado Barreto.

A operação, batizada de Luz na Infância 2, aprendeu mais de um milhão de imagens com pornografia infantil. “São imagens fortes, com todo tipo de abuso contra crianças e adolescentes. Às vezes peço para os policiais nem me mostrarem, tamanha repulsa que causam”, afirmou o delegado Barreto. A primeira fase dessa operação ocorreu em outubro do ano passado.

Entre os presos estão criminosos reincidentes. Um deles é um técnico de enfermagem de Minas Gerais. As penas para esses delitos variam de um a oito anos de prisão. A apuração dos crimes durou ao menos dois meses.

As imagens eram publicadas e compartilhadas por meio de sites e fóruns de discussão localizados na deep web, uma zona cinzenta na internet mundial onde costuma circular informações e arquivos ilegais.

Cerca de 2.600 policiais civis participaram da ação que ocorreu em 284 municípios. Contou com o apoio da embaixada dos Estados Unidos. De acordo com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, dessa vez a Polícia Federal não esteve na linha de frente do combate ao crime porque ela estava com seu efetivo voltado para outras áreas. Foi a segunda vez que o ministério coordenou uma ação apenas com policiais estaduais. A outra, ocorreu nos dias 11 e 12 de maio e envolveu policiais e bombeiros militares de todo o país.

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: Veja

4 comentários

  1. Marcelo Jesus disse:

    Se esse pessoal não tivesse DINHEIRO, moraria no presidio…

  2. Marcelo Jesus disse:

    Olha o perfil deles???????????????????????????????????
    é só pagar fiança, que a pedofilia volta.Estamos no brasil e todos sabem que esse é o país da MULEQUEIRA….

  3. Emmanuel disse:

    Como no Brasil não tem pena de morte. A pena perpétua serviria.

  4. gisele alioto marques disse:

    Devia por pena de morte para tais crimes! Isso é repugnante e as crianças e adolescentes envolvidos ficam marcados profundamente em seu ser que podem se tornar os piores cidadãos amanhã se não forem tratados no psicológico. Precisam ser amadas da forma protetora e respeitosa que perderam.

Comentários encerrados.