Colunistas

PERDÃO – O poder da graça na família

Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas”. (Mateus 6:15)

Não é difícil falar sobre o perdão, o desafio é perdoar. Quem acha que é fácil perdoar, é porque ainda não passou pelo caminho da traição, rejeição, agressão etc. O perdão é o tema central do Cristianismo e é a razão de ser da cruz de Cristo . A morte de Jesus foi o preço pago para que o perdão se tornasse uma realidade na vida de todos aqueles que aceitassem o convite da graça para voltar a se relacionar com Deus como filho. O escritor Philip Yancey disse que: “O perdão é a única alternativa que pode deter o ciclo do ódio, da culpa e da dor”. Estudar sobre o perdão, é buscar compreender o que significado da graça de Deus dispensada a todos nós.

DEFININDO O QUE É PERDÃO

Jesus, disse: “E, quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém, perdoai, para que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas.” (Mc 11.25 Grifo do autor) Quando compreendemos com clareza o que significa perdoar, nos ajuda a praticar esse princípio que é determinante para a nossa saúde espiritual, emocional e física.

Perdoar é dar algo de valor a quem não merece. O perdão é a encarnação da graça, disse um pregador. O que é graça? É favor não merecido. Na parábola do Filho Pródigo, o Pai ofereceu aquilo que o Filho, que havia saído e desperdiçado toda a herança vivendo irresponsavelmente, não merecia – PERDÃO (Lc 15.11-32). Certa mulher levou uma cesta de presentes para um filho de uma família muito pobre. Na cesta havia roupas, sapatos, meias e brinquedos. O pai do garoto atendeu a mulher no portão e disse: – Meu filho é rebelde, indisciplinado e sempre arruma confusão na rua, ele não merece receber esse presente. O que a mulher respondeu: – Meu senhor, ele não merece, mas precisa e eu quero oferecer a ele. Assim é o perdão, um presente que o ofensor não merece, mas precisa. (Ef 2.8)

O perdão é a faxina do coração. Perdoar é jogar o lixo emocional fora. O apóstolo Paulo ensinou os irmãos de Éfeso sobre a necessidade de fazer essa faxina no coração, dizendo: “Longe de vós, toda amargura, e cólera, e ira, e gritaria, e blasfêmias, e bem assim toda malícia. Antes, sede uns para com os outros benignos, compassivos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus, em Cristo, vos perdoou.” (Ef 4.31,32 – grifo do autor.) Quem não perdoa transforma o coração em uma lata de lixo emocional. É por essa razão que não devemos levar ira, mágoa, rancor, ressentimento para a cama, é lixo emocional (Ef 4.26). Esse lixo provoca câncer na alma.

Perdoar é transferir a “conta” para as mãos de Deus. A Bíblia diz: “Amados, nunca procurem vingar-se, mas deixem com Deus a ira, pois está escrito: ‘Minha é a vingança; eu retribuirei’, diz o Senhor.” (Rm 12:19-NVI) Perdoar é deixar nas mãos de Deus a conta do ofensor. Quando entregamos nas mãos de Deus a conta, estamos reconhecendo que só o Senhor tem o direito de julgar, a nós cabe simplesmente perdoar. Muitos dizem, fui ofendido, prejudicado, ferido e perdoei, porém, como fica o ofensor? Se o ofensor se arrepender, ele será graciosamente perdoado pelo Senhor e consequentemente a conta será rasgada, porém se não houver arrependimento, Deus o julgará. Lembre-se, Deus é amor mas também é justiça.

Perdoar é vencer o mal com golpes de bondade. Jesus ensinou esse princípio no Sermão da Montanha, quando disse: “Mas eu lhes digo: Amem os seus inimigos (perdoe) e orem por aqueles que os perseguem, (perdoe- Mt 5:44). O apóstolo Paulo também praticava esse principio ensinado por Jesus, ele escreveu aos Romanos: “Se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer; (perdão) se tiver sede, dê-lhe de beber (perdão). Fazendo isso, você amontoará brasas vivas sobre a cabeça dele. Não se deixem vencer pelo mal, mas vençam o mal com o bem.” (Perdoe – Rm 12:20-21) Há uma história que ilustra bem o que significa vencer o mal com golpes de bondade. Certa irmã, muito piedosa, no dia do seu aniversário recebeu de uma vizinha que não gostava de “crente”, um presente muito estranho. Ela recebeu uma cesta cheia de estrume de cavalos e gados. Depois de alguns dias, a vizinha fez aniversário e a irmã resolveu responder a provocação com um presente. Ela pediu para a sua empregada, pegar as flores mais bonitas do seu jardim e preparar uma linda cesta. Depois, ela escreveu um cartão e colocou na cesta de flores e enviou para a vizinha. Quando a vizinha viu o presente, sorriu e disse: – Como essa senhor é tola, eu enviei estrume de presente e ela me enviou flores. Isto porque ela ainda não tinha lido o cartão. Quando ela abriu o cartão e leu a mensagem, estava escrito: “Cada um dá o que tem!” É assim que jogamos “brasas acessas na consciência do inimigo” provocando o milagre da graça na vida do inimigo.

Perdoar é renunciar o passado para construir o futuro. A falta de perdão torna a pessoa prisioneira do seu passado. O profeta Isaias, disse: “Esqueçam o que se foi; não vivam no passado. Vejam, estou fazendo uma coisa nova! Ela já está surgindo! Vocês não o percebem? Até no deserto vou abrir um caminho e riachos no ermo. (Is 43:18-19) O passado não pode roubar nossa alegria de viver no presente e nem comprometer a construção do nosso futuro, por isso devemos perdoar. Como afirmei no inicio, o perdão é amnésia do amor, a faxina do coragem e a cura para as memórias amargar. Perdoar não é esquecer, mas lembrar e não sentir mais dor.

POR QUE DEVEMOS PERDOAR?

Um dia Pedro perguntou para Jesus se a quantidade de vezes que ele deveria perdoar o próximo era sete vezes. Jesus respondeu que era 70 vezes 7 (Mt 18.21,22) O que Jesus quis dizer para Pedro, é que na graça não existe contabilidade, devemos perdoar quantas vezes for necessário. Vamos ver cinco razões porque devemos perdoar sempre que for necessário.

Quem não perdoa não pode ser perdoado. Nos seus ensinos, Jesus insistiu em dizer: “Pois se perdoarem as ofensas uns dos outros, o Pai celestial também lhes perdoará. Mas se não perdoarem uns aos outros, o Pai celestial não lhes perdoará as ofensas”. (Mt 6:14-15) A prática do perdão é algo que devemos levar muito a sério, porque é uma questão de salvação ou perdição eterna. Para chegar ao céu, obrigatoriamente todos tem que passar pela porta estreita do perdão. Não perdoar é muito perigoso.

Quem não perdoa se coloca debaixo do juízo de Deus. Jesus contou uma parábola em Mt 18.23-35; para mostrar como Deus trata aqueles que foram perdoados, mas não liberam perdão. Na parábola um homem devia dez mil talentos, o equivalente a trezentos e cinquenta mil kilos de ouro, uma divida impagável. Este homem implorou, clamou por misericórdia e foi perdoado. Ao sair dali perdoado, ele encontrou o companheiro que lhe devia cem denários, o equivalente a cem dias de trabalho. O que ele fez, “Agarrou-o e começou a sufocá-lo, dizendo: ‘Pague-me o que me deve! ’ Então o seu conservo caiu de joelhos e implorou-lhe: ‘Tenha paciência comigo, e eu lhe pagarei’. Mas ele não quis. Antes, saiu e mandou lançá-lo na prisão, até que pagasse a dívida. Quando os outros servos, companheiros dele, viram o que havia acontecido, ficaram muito tristes e foram contar ao seu senhor tudo o que havia acontecido. Então o senhor chamou o servo e disse: ‘Servo mau, cancelei toda a sua dívida porque você me implorou. Você não devia ter tido misericórdia do seu conservo como eu tive de você? ’ Irado, seu senhor entregou-o aos torturadores, até que pagasse tudo o que devia. Assim também lhes fará meu Pai celestial, se cada um de vocês não perdoar de coração a seu irmão”. (Mt 18:28-35 Grifo do autor.) Quem não perdoa em vez de pedir misericórdia, chama juízo sobre a sua vida. Lembre-se, a forma como tratamos o nosso ofensor, Deus ira nos tratar.

Quem não perdoa se mantém algemado ao ofensor. Um judeu, antem se se mudar de Israel para os EUA, reuniu a família toda e disse: – Eu liberando perdão para Hiteler. Ninguém entendeu e acharam que era uma decisão tola, porque Hiteler matou milhões de judeus. O que ele respondeu: – Essa é a única forma de eu não carregar essa assassino comigo. O perdão nos liberta do ofensor. José, filho de Jacó, não foi vencido e nem destruído pelo ódio, ressentimento, mágoa e desejo de vingança, porque praticou o principio do perdão. Quando nasceu o seu primeiro filho, ele colocou o nome de Manassés, que significa, Deus me fez esquecer (Gn 41.51).

Quem não perdoa não pode orar. O apóstolo Pedro, ao escrever sobre relacionamento conjugal, disse: “Do mesmo modo vocês, maridos, sejam sábios no convívio com suas mulheres e tratem-nas com honra, como parte mais frágil e co-herdeiras do dom da graça da vida, de forma que não sejam interrompidas as suas orações.” (1 Pe 3:7) Quando o nosso relacionamento em família fica comprometido por falta de perdão, as nossas orações nascem mortas. É por isso que Jesus nos ensinou a orar assim: “Perdoa as nossas dívidas, assim como perdoamos aos nossos devedores.” (Mt 6:12) O perdão é a chave que mantém o coração de Deus sempre aberto para nos ouvir.

Quem não perdoa não pode adorar. “Portanto, se você estiver apresentando sua oferta diante do altar e ali se lembrar de que seu irmão tem algo contra você, deixe sua oferta ali, diante do altar, e vá primeiro reconciliar-se com seu irmão; depois volte e apresente sua oferta. (Mt 5:23-24) É impossível Deus aceitar adoração de um coração carregado de mágoa, ressentimento, ódio, ira e desejo de vingança. Por que perdão e adoração são inseparáveis? 1) Sem perdão não há unidade, e sem unidade não podemos adorar; 2) Sem perdão não há vida de Deus, mortos não adoram; 3) Sem perdão o orgulho prevalece, Deus abate os soberbos da sua presença; 4) Sem perdão não permitimos ser controlados pelo Espírito Santo, e sem o Espírito Santo é impossível adorarmos ao Senhor; 5) Sem perdão colocamos Jesus para o lado de fora e Ele é a razão maior da nossa adoração.

Quem não perdoa adoece. O apóstolo Paulo detectou esse problema na igreja de Corinto, quando escreveu: “Por isso há entre vocês muitos fracos e doentes, e vários já dormiram.” (1 Co 11:30) A falta de perdão é uma das causas das doenças psicossomáticas. Por que?

Não perdoar gera amargura e amargura prolongada causa efeitos físicos como: úlceras, pressão alta, descargas de adrenalina (por causa da associação com a ira).

Não perdoar dá ao diabo uma reivindicação legal para deprimir a pessoa, e a depressão pode levar a morte, ao suicídio. Ao escrever para os Coríntios, o apóstolo Paulo explica porque ele estava sempre pronto para perdoar. “Se vocês perdoam a alguém, eu também perdôo; e aquilo que perdoei, se é que havia alguma coisa para perdoar, perdoei na presença de Cristo, por amor a vocês, a fim de que Satanás não tivesse vantagem sobre nós; pois não ignoramos as suas intenções. (2 Co 2:10-11 Grifo do autor.) Não perdoar pode levar a pessoa a depressão, a depressão pode abrir uma porta para a opressão maligna que pode terminar em possessão. Observe que Paulo disse, que, uma das razões porque devemos perdoar, é para que Satanás não leve vantagem sobre nós.

COMO DEVEMOS PERDOAR

Se pudéssemos perguntar para o apóstolo que escreveu a maior parte do Novo Testamento; Paulo, como devemos perdoar? Certamente ele responderia como escreveu para os Efésios: “Perdoem como Deus perdoou vocês em Cristo”. (Cl 3.13). Vejamos como é o perdão de Deus para conosco.

O perdão deve ser incondicional. “Sou eu, eu mesmo, aquele que apaga suas transgressões, por amor de mim, e que não se lembra mais de seus pecados.” (Is 43:25) Quando Jesus restaurou Pedro naquele encontro às margens do Mar da Galiléia (Jo ), ele não disse: Pedro eu te perdoo, mas que seja a ultima veja; ou, eu te perdoo porém não é possível continuar andando junto. O perdão de Jesus para Pedro foi incondicional e assim devemos perdoar.

O perdão deve ser completo. “Se pecar contra você sete vezes no dia, e sete vezes voltar a você e disser: ‘Estou arrependido’, perdoe-lhe”. (Lc 17:4) O número sete na Bíblia nos fala de completude. Deus quando não perdoa parcialmente, seu perdão é completo e assim deve ser o nosso perdão.

O perdão deve ser definitivo. “De novo terás compaixão de nós; pisarás as nossas maldades e atirarás todos os nossos pecados nas profundezas do mar.” (Mq 7:19)

”Porque eu lhes perdoarei a maldade e não me lembrarei mais dos seus pecados”. (Hb 8:12)

O escritor Marcos de Souza Borges, dia que que perdoar é escolher o caminho da cruz. É só da cruz que podemos dizer as mesmas palavras que Jesus disse aos seus algozes: “Pai perdoa-os porque não sabem o que fazem”.

Visite nosso site: www.amofamilia.com.br

8 comentários

  1. carlos mendonça disse:

    Fala sério !!! E quando só há interesse nada de sinceridade no arrependimento ?

  2. Samuel ramos disse:

    Precisamos aplicar o perdao em nossas vidas’ so assim poder conhecer o verdadeiro amor de Deus em nossas vidas.

  3. Que menssagem profunda que falou ao meu coração…
    Deus te abençõe mais e mais Pr Josué

  4. Que msd profunda que falou ao meu coração…
    Deus te abençõe mais e mais Pr Josué

  5. fernanda disse:

    sabe me lavou a mente e a alma que palavra abençoada que cada dia deus coloque pessoas tao especial para falar do amor dele

  6. Ester Pereira Alves disse:

    Muito bom pastor Josué, o artigo sobre o perdão. Que esse princípio da Palavra de Deus
    seja amplamente divulgado e vivido por todos os filhos de Deus.

    Pra Ester.

  7. paulo disse:

    precisamos neste tempo de pessoas que valorize a familia,que tenham como conversa principal em seus lares a importancia do perdão e da graça de DEUS

  8. Cezar disse:

    Por não perdoar vem a magoa e com ela a porta se abre para satanás entrar e morar. Muito cuidado.

Comentários encerrados.