Brasil

PF aponta que Cabral financiou dossiês contra o juiz Marcelo Bretas

Imagem: DivulgaçãoMesmo dentro do presídio, o ex-governador Sérgio Cabral estaria financiando a montagem de dossiês contra o juiz Marcelo Bretas, da Operação Lava Jato no Rio. As informações são de uma investigação sigilosa da Polícia Federal, a que os repórteres da Rede Globo, Paulo Renato Soares, Arthur Guimarães e Leslie Leitão tiveram acesso, com exclusividade.

A informação de que o grupo do ex-governador passou a montar dossies contra os investigadores partiu de dentro do presídio onde Sérgio Cabral está preso, em Benfica, na Zona Norte do Rio. Segundo a denúncia, o ex-governador teria um fundo milionário para financiar uma devassa na vida dos integrantes da força-tarefa da Lava Jato no estado.

A Polícia Federal já sabe que houve acessos suspeitos e todos teriam ocorrido depois que Cabral já tinha sido preso, em novembro do ano passado. E os agentes já sabem em nome de quais funcionários os acessos foram feitos.

No dia 26 de setembro – 6 dias depois de o ex-governador receber a sentença na Operação Calicute – houve 8 acessos pra pesquisar registros de ocorrência sobre o juiz Marcelo Bretas e a mulher dele, que também é juíza.

Em nota, a defesa de Sérgio Cabral negou o dossiê. “É uma mentira, antes de uma maldade sádica, com claro propósito de criar intriga entre o ex-governador e o magistrado, certamente como forma de incitá-lo a determinar nova transferência para um presídio federal”, diz a nota.

A investigação da Polícia Federal está em andamento, mas é sigilosa porque envolve a segurança dos integrantes da Lava Jato no Rio, do Ministério Público Federal e da Justiça. A Polícia Federal quer saber de onde vem o dinheiro para financiar a montagem de dossiês, quem está envolvido e qual é o objetivo do ex-governador. A equipe da Lava Jato no Rio está com a segurança reforçada desde que as investigações começaram.

O documento foi uma resposta a um questionamento da força tarefa da Lava Jato, que pediu uma auditoria sobre todas as consultas feitas aos nomes do juiz e de parentes dele. No dia 23 de outubro, Cabral citou informações sobre a família de Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, durante uma audiência.

Ao ser questionado sobre a compra de joias para lavar dinheiro, o ex-governador disse que o juiz devia entender do assunto porque a família do magistrado trabalha com bijuterias.

No fim de outubro, o Ministério Público pediu a transferência de Sérgio Cabral para um presídio federal de segurança máxima por causa do comportamento do ex-governador, e porque ele teria acesso a informações privilegiadas dentro da cadeia.

O Departamento Penitenciário Nacional definiu que o ex-governador iria para o presídio federal de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, mas uma liminar do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal impediu a transferência.

Leia também: Nova audiência: Bretas e Cabral se encontram após discussão e transferência negada

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: G1

3 comentários

  1. Até quando os cidadãos do RJ vão sofrer com as consequências dos desmandos causados por este individuo? Por que não leiloar os bens dele?

  2. O juiz Bretas que tenha cuidado com o Sérgio Cabral. O Sérgio Cabral conseguiu destruir um estado e para destruir com a carreira do juiz Bretas não será difícil pra ele. Para o Sérgio Cabral fazer o que fez no Rio de Janeiro, com certeza ele tem uma gangue sob o seu comando e faz tudo que ele manda.

    1. eduardo marins disse:

      e tem outra se aqui já se matou uma juiza imagine mandarem matar o dr bretas, depois de morto meu filho pode pegar os assassinos q o verdadeiro mandante em pouco tempo estara livre

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*
*

Você tem caracteres para usar.