Brasil

Plano de segurança: Medidas podem ajudar a desmobilizar crime organizado

Imagem: DivulgaçãoO ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, apresenta neste momento, no Palácio do Planalto, uma minuta final do Plano Nacional de Segurança Pública. Segundo ele, ao contrário dos anteriores este será um plano operacional e não de intenções. O documento receberá ainda sugestões das secretarias estaduais para ser finalizado.

“Tudo que está previsto no plano tem previsão orçamentária, o que percebemos que não haveria orçamento por conta das condições econômicas do país, fica para depois. O plano é extremamente realista”, diz o ministro.

“Esta é a primeira vez que um plano é construído com a participação de secretários estaduais, ministérios públicos, sociedade civil organizada, entre outros. Por isso será mais realista e, diferentemente dos anteriores, não é um plano de intenções, mas operacional, em seus três eixos principais: integração, cooperação e colaboração”, acrescentou Moraes.

O novo plano terá três objetivos principais: reduzir homicídios, feminicídios e a violência contra a mulher; promover o combate integrado à criminalidade transnacional – ligada a grandes quadrilhas que atuam no tráfico de drogas e de armamento pesado – e a racionalização e modernização do sistema penitenciário.

“Esses três objetivos estão interligados por terem relação direta com o narcotráfico e a criminalidade organizada. Combatendo isso, os demais são crimes reflexos e cairão”, destacou o ministro.

Moraes detalhou as ações gerais de capacitação, inteligência e de atuação conjunta previstas. No que se refere à capacitação, disse ele, o plano prevê nova matriz curricular para a formação policial, bem como a elaboração de estatísticas de mensuração da eficácia da atividade de Polícia Judiciária. “É importante uma nova matriz de formação, seja do policial, seja do Ministério Público ou do policial judiciário”.

As ações de inteligência preveem a implantação de núcleos nos 26 estados e no Distrito Federal. Moraes lembrou que isso será feito de forma conjunta com setores de inteligência das polícias Federal (PF), Rodoviária Federal (PRF), Civil, Militar e do sistemas penitenciários.

“Vamos implantar e interligar sistemas de videomonitoramento, a exemplo do que foi feito nas cidades que sediaram a Copa e os Jogos Olímpico, com a participação de toda a inteligência policial. Será um grande centro de cooperação de inteligência e de informações que poderá ser compartilhado com todos os municípios”, afirmou.

Ainda dentro das ações de inteligência, o plano prevê a ampliação do número de radares do Alerta Brasil nas rodovias. “Vamos ampliar para quase mil [na verdade, 935] o número de radares Alerta Brasil, de forma a integrar esse sistema com os sistemas estaduais de identificação de veículos”.

A comunicação por rádio digital também está prevista no plano. Alexandre de Moraes explicou que essa integração, entre a PRF e as polícias estaduais que tenham rádio digital, será focada nas áreas estratégicas e de fronteiras. “Essa questão é muito importante porque há atualmente, nos estados, grande dificuldade de comunicação. Boa parte deles ainda faz comunicação analógica. [Ao digitalizar] garantiremos uma comunicação sem interferência [de criminosos]”, argumentou.

Há também a previsão de investimentos nas perícias criminais, tanto estaduais quanto federal. “Um grande problema de vários estados é a questão da perícia criminal, seja para a resolução de homicídios – tivemos 52 mil em 2015 – seja para o combate ao narcotráfico. Vamos, então, instalar um laboratório central de perícia criminal que dê apoio a todos os estados. Daremos também apoio aos estados pelos laboratórios da PF que serão ampliados”.

Ainda dentro das medidas de fortalecimento da perícia criminal, Moraes disse que o plano prevê a ampliação da inserção dos perfis genéticos no banco de dados de DNA e o compartilhamento, em âmbito nacional, do banco de dados de impressões digitais.

A identificação de armas de fogo e de munições será uma “política pública destinada ao combate à criminalidade”,  acrescentou o ministro ao citar as ações denominadas “DNA das Armas”.

Deixe seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: Agência Brasil

14 comentários

  1. Jary Guasina dos Santos disse:

    Bandido tem que ser tratado como tal, lógico, existem “bandidos e bandidos”.
    Essas reuniões com cunho político e medidas paliativas só servem pra ‘ingles vê’.
    Ministro, indague ao cidadão de bem qual é a fórmula que ele tem na ponta dá língua a solução.
    É hora de ONGs e DH cair fora daqui.

  2. mauro disse:

    DEVEMOS TODOS JUNTOS INVADIR ESSE CONGRESSO COMUNISTA QUE ESTÃO AÍ. DEBOCHANDO DOS CIDADÃOS DE PAIS NÃO VAMOS NOS ACOVARDAR COM ESSA SITUAÇÃO DE BANDIDAGEM QUE ESTA NO PODER FABRICANDO LEI PRA MATAR AOS POUCOS CIDADÃOS DE BEM DO PAÍS TEMOS AGIRMOS COM ENERGIA TIRAR DO CONGRESSO ESSES SANGUESSUGAS

  3. mauro disse:

    QUERO ALERTAR A POPULAÇÃO ESSE GOV. BANDIDO QUER COLOCAR EM VOTAÇAO NO CONGRESSSO UMA EMENDA CONSTITUCIONAL QUE VAI PREJUDICAR A MAIORIA DE CIDADÃOS QUE TEM CASAS COM LAJES POIS ESSE MINISTRO DAS CIDADES SAFADO COMUNISTA VAI DIVIDIR SUA COM ESTRANHOS COLOCANDO PRA MORAR EM CIMA DA LAJE DE SUA CADA.

  4. mauro disse:

    E INADMISSÍVEL INACEITÁVEIS PRESENCIARMOS ESSA SITUAÇÃO E NOS ACOMODARMOS COM ESSA SUJEIRA QUE NOSSO PAÍS ESTA ENVOLVIDO UM GOV BANDIDO UMA MÁFIA DESSA EXTIRPE GOVERNANDO O BRASIL SO ESPERAMOS POR ISSO AÍ INDENIZAR BANDIDOS QUE MORREM EM PRISÃO ISSO E ABSURDO NAO DEVEMOS DEIXA ISSO ACONTECE NO PAIS

  5. Herman Joao Froeder Neto disse:

    cont 1: nossas “otoridades” não tocam, pois atingiriam a si mesmas. Daqui há 5 ou 10 anos, após outros massacres, virão as mesmas lenga-lengas. Um tonto(ministro) já chegou a sugerir que a solução é aumentar impostos. Esse é o sonho de todo político safado. Sempre querem mais para roubar mais .

  6. Herman Joao Froeder Neto disse:

    Acreditar nessa balela do governo é tolice. Isso é apenas mais uma cortina de fumaça para engambelar a opinião pública, que não aguenta mais tanta violência e tanta lei estúpida, criada para favorecer marginais. Costumo dizer que “país que tem dó de banido não pode dar certo.” Na essência da coisa

  7. Leudimar Moreira Cardoso disse:

    Tem que colocar os detentos trabalharem dez horas por dia de segunda a sábado e trabalho duro, bandidos não gostam de trabalharem, quem sabe assim diminuem um pouco a criminalidade e eles mesmos tem a obrigação de se sustentarem e também dar o sustento as suas famílias.

  8. Antony disse:

    Acho que as cabeças pensantes e responsáveis pelo sistema poderiam desenvolver uma forma das prisões serem auto sustentáveis e não um depósito e criadouro de iniquidades. Seria uma forma genial de desonerar nossos bolsos

    1. ALEXANDRE VIDAL DE SOUZA disse:

      Concordo com vocês e completando foco também na educação seguir alguns modelos como a Suecia e Holanda que estão fechando presidios.

  9. Reinaldo disse:

    Já era hora! Estamos “sitiados”.
    Alguma coisa tinha que ser feita!

  10. MARIA MADALENA DA SILVA FERRAO disse:

    graças a Deus, já estava a tempo de agirem, pois eu nunca vi tanto crime tantas pessoas de bens morre
    rem, tantos lutarem para comprar algo e serem roubado.

  11. Muito bom alguma ação contra o mal tem que acontecer meus parabéns.

  12. Evânio da silva lopes disse:

    Papai noel existe kkkkk. Ministro fraco, o foco é aumentar as penas e tirar os privilégios dos presos. Estou esperando se idenizado pela comissão de anistia, ai vem o MPF e a OAB fraca e covarde querendo pagar indenização urgente aos familiares de bandidos, só no Brasil

    1. Paulo cesar disse:

      Concordo contigo, tem é que aumentar as penas e tirar as regalias dos presos e digo mais acabar com a progressão de pena e introduzir a prisão perpétua, pois há muito já passou da hora de endurecer as leis.

Deixe uma resposta para Herman Joao Froeder Neto Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*
*

Você tem caracteres para usar.