Brasil

Saiba de quanto deveria ser o salário mínimo no Brasil

Imagem: DivulgaçãoNem R$ 678 (valor atual), nem R$ 722,90 (valor previsto para 2014). Para o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o valor do salário mínimo deveria ser de R$ 2.685,47.

O número equivale a 3,96 vezes a cifra em vigor hoje e corresponde ao valor necessário para atender as despesas dos trabalhadores e de suas famílias com vestuário, higiene, transporte, lazer, previdência, alimentação, moradia e educação.

Com PIB modesto, salário mínimo sob Dilma terá menor alta do Real

O valor é calculado mensalmente pelo Dieese com base no custo da cesta básica pesquisado em 18 capitais do país. Em agosto, 13 locais tiveram redução no conjunto de produtos considerado na conta.

Mesmo com a queda, os brasileiros que recebem um salário mínimo ainda precisavam de uma jornada de pouco mais de dez dias (92 horas e 31 minutos) de trabalho para conseguir comprar uma cesta básica, considerando o preço média das capitais pesquisadas.

O gasto para os produtos da cesta representava em agosto um comprometimento de 45,13% da renda do trabalhador que ganha o mínimo, já descontado o valor referente à previdência.

Os cálculos acima também são inferiores aos registrados em julho, em linha com o preço da cesta básica.

Capitais

A cidade de São Paulo, onde os produtos pesquisados pelo Dieese ficaram 2,8% mais baratos em agosto, ainda apresenta o valor mais alto para a cesta: R$ 319,66.

Os trabalhadores de Aracaju são, na outra ponta, os que têm o menor desembolso com os produtos de primeira necessidade: R$ 233,19. Trata-se de valor 2,58% menor do que o registrado em julho.

Das cinco capitais onde não houve redução em agosto, Porto Alegre teve o maior aumento no mês, de 1,38%, para R$ 311,50, o segundo custo mais alto do país.

A redução na maioria das capitais se deu sobretudo graças aos preços menores do tomate, feijão e manteiga.

No período acumulado até agosto, contudo, apenas Goiânia (-1,79%), Belo Horizonte (-0,12%) e Florianópolis (-1,97%) registraram queda no preço da cesta básica. Em São Paulo, a alta no período é de 4,84%.

4 comentários

  1. Edmilson nogueira disse:

    Que pena que a corrupção n deixa esse salario cai na nossa mão!

  2. Roberto disse:

    E o PT que prometeu em campanha corrigir o salário mínimo, seguiu e até piorou os valores dos governos anteriores. É o que pior não está conseguindo segurar a inflação, e ainda quer aumentar os combustíveis, mandando e desmandando na Petrobrás cujo petróleo o Brasil nunca produziu tanto, mas o povo não ver nem a cor do dinheiro nem baixa o valor dos combustíveis que também o PT prometeu em campanhas.

  3. Charles disse:

    Quando o PT era oposição, os seus asseclas xingavam, berravam com as suas frases de efeito delirantes. Ouviam-se sindicalistas e o sapo barbudo(agora pelado) invocando os dados do Dieese contra o salário mínimo miserável, culpando as elites dominantes e o capitalismo selvagem. E agora, que o PT está no poder, por que não dá o reajuste decente com base nos estudos do Dieese? Quando fazemos essa cobrança eles alegam que quebraria a Previdência Social e as prefeituras. E antes não quebrava não?

  4. william disse:

    Jesus voltando o governo vai ser dele ai vai ficar bom.

Comentários encerrados.