Mundo

Satanistas criam curso infantil contra ensino cristão em escolas dos EUA

Grupo satanista diz querer 'oferecer uma alternativa a crianças e pais' e questiona a legitimidade dos cursos cristãos na rede de ensino infantil dos EUA

‘Satã depois da escola': grupo satanista diz querer ‘oferecer uma alternativa a crianças e pais’ e questiona a legitimidade dos cursos cristãos na rede de ensino infantil dos EUA

Representantes de Deus e do Diabo na Terra estão disputando a atenção de alunos de escolas públicas nos Estados Unidos. Assim começa a matéria divulgada pelo ‘G1′.

Desde 2001, a Suprema Corte americana permite que grupos religiosos ofereçam cursos extracurriculares a alunos da rede pública. Graças à regra, igrejas católicas e evangélicas espalharam os chamados “Clubes de Boas Notícias” por colégios de todo o país, com a missão de “evangelizar meninos e meninas com o Evangelho do Senhor, para estabelecê-los como discípulos da Palavra de Deus”.

Com a imagem de um lápis escolar de três pontas, simulando um tridente, membros do Templo Satanista dos EUA decidiram aproveitar a legislação para “oferecer uma alternativa a crianças e pais” e questionar a legitimidade dos cursos cristãos na rede de ensino infantil.

“Se cursos religiosos são permitidos nas escolas, nós queremos espalhar nossos clubes por toda a nação para garantir que múltiplos pontos de vista estejam representados”, disse à ‘BBC Brasil’ Chalice Blythe, diretora nacional do programa “Satã Depois da Escola” (After School Satan Program, no original), do Templo Satânico dos EUA.

A estratégia inclui um convite em vídeo, com áudio invertido e imagens de crianças intercaladas com aranhas, bodes com longos chifres e outros símbolos satânicos, em que o grupo convoca estudantes para “aprenderem e se divertirem” com o satanismo.

Um livro de colorir chamado ‘O grande livro de atividades das crianças satanistas’, vendido por 10 dólares (aproximadamente R$ 33), estimula os pequenos a brincarem de “ligar os pontos para formarem um pentagrama invertido”, símbolo clássico associado ao reino de Satanás.

Em coro com diversos grupos religiosos, a conservadora TFP (Tradição, Família e Propriedade) americana reagiu, classificando o projeto como “sacrilégio” e convocando fiéis a protestarem “pelo retorno da moral cristã”.

“Precisamos frear a popularidade do satanismo”, destacou a entidade, endossando uma onda de abaixo-assinados criados por igrejas para proibir cursos satânicos para crianças.

Ativismo x Religião

Proposta de Templo Satanista aproveita regra que permite cursos cristãos em escolas públicas e levanta discussão sobre separação entre Estado e religião nos EUA. ‘Precisamos de uma filial no Brasil’, diz internauta do Rio de Janeiro em site satanista

Com um discurso fortemente político, o Templo Satânico foi criado em 2014 como um novo ramo do Satanismo americano tradicional. O templo tem forte atuação em redes sociais, onde reúne mais de 100 mil seguidores – especialmente jovens. Em menos de três anos, o templo inaugurou “capítulos” (ou escritórios) em 13 Estados americanos.

Mais do que devotos do Diabo, entretanto, o projeto satanista vem ganhando popularidade entre ateus e ativistas políticos nos Estados Unidos e outros países.

“Precisamos de uma filial do templo no Brasil”, escreveu um morador do Rio de Janeiro na página do grupo satanista no Facebook.

“O novo prefeito da minha cidade é um bispo evangélico e está começando a mostrar serviço em nome de Deus. Nas câmaras legislativas existem cultos para Jesus. Em nossa Constituição está escrito que somos um país secular, mas mesmo em nossa Suprema Corte temos um crucifixo na parede. Se até a nossa Justiça não respeita a Constituição, quem respeitará?”, questionou o brasileiro, em meio a outros comentários críticos relacionando política e religião.

Fundador do Templo Satânico e ex-aluno de neurociência da Universidade de Harvard, o americano Lucien Greaves tem como bandeiras a defesa do conhecimento científico, das liberdades individuais e direitos humanos, da legalização do aborto e do casamento entre pessoas do mesmo sexo e, acima de tudo, da separação entre religião e Estado.

O posicionamento gera ceticismo – estes satanistas seriam mesmo religiosos ou são um grupo político que se aproveita das leis ligada a religiões?

“O Templo Satânico é uma religião igual a qualquer outra, na medida em que nós (membros) temos um senso de identidade, comunidade, estrutura narrativa, cultura e valores compartilhados”, responde a satanista Blythe, em entrevista à BBC Brasil.

“Não ter crenças ou fundamentos supersticiosos não nos torna menos sinceros em nossas ações e convicções do que aqueles que mantêm a crença em uma divindade”, completa.

Mas, se o foco é científico e distante de misticismos, por que a opção pela imagem do diabo?

“Satanás é um símbolo do eterno rebelde em oposição à autoridade arbitrária”, responde. “Nosso é o Satanás é o herege que questiona as leis sagradas e rejeita todas as imposições tirânicas”.

Disfarce

Para o advogado constitucionalista John Eidsmoe, “a principal questão constitucional ligada a proposta de curso infantil satanista é entender se o Satanismo é uma religião”.

“Não consigo prever como uma corte decidirá em relação a isso”, afirmou Eidsmoe ao jornal religioso The Christian Post.

Além dos cursos infantis, a estratégia do templo Satânico inclui a instalação de monumentos dedicados a Satanás ao lado de estátuas cristãs em locais públicos e intervenções em procissões religiosas.

Para a maioria dos grupos cristãos tradicionais, estes satanistas seriam “ativistas políticos travestidos de religiosos”.

“Este grupo não é legítimo. A única razão para ele existir é se opor aos Clubes de Boas Notícias, onde ensinam a moral, o desenvolvimento do caráter, patriotismo e respeito, de um ponto de vista cristão”, afirmou, em nota, Mat Staver, fundador do grupo evangélico Liberty Counsel.

“O chamado grupo satanista não tem nada de bom para oferecer aos alunos. As escolas não precisam tolerar grupos que perturbem o ambiente e visam (prejudicar) outros clubes legítimos. Nenhum pai em sã consciência permitiria que seus filhos participem desse grupo”, completou.

Para o pastor presbiteriano Jerry Newcobe, “um dos grandes problemas com a América contemporânea é o multiculturalismo, que abrange todos e todos sem discernimento”.

“O cursos satanistas para crianças desrespeitam a lei porque querem proteger as crianças de qualquer forma de cristianismo”, diz.

Programa

A proposta “Satã Depois da Escola” prevê encontros mensais de uma hora em salas alugadas por escolas públicas, nos mesmos moldes dos clubes cristãos. As reuniões incluem “uma refeição saudável, aulas de literatura, atividades de aprendizado criativo, ciências e artes”.

“Todas as crianças são bem-vindas, independente de seu histórico religioso”, ressaltam os satanistas na carta de apresentação do projeto a escolas.

À BBC Brasil, a porta-voz do Templo Satânico afirma que os cursos infantis não se propõem à devoção do Diabo, mas “a um currículo que enfatiza uma visão de mundo científica, racionalista e não supersticiosa”, como alternativa aos dogmas do ensino cristão.

Questionada se preferiria que as aulas cristãs fossem canceladas, em vez de ter seus cursos satânicos em atividade nas escolas do país, Blythe mostra preferência pela primeira opção.

“Se o medo de os satanistas chegarem às escolas públicas for suficiente para justificar que todos os clubes religiosos sejam proibidos, veremos isso como um resultado positivo”, diz a representante do grupo.

À reportagem, ela diz afirma que “os Clubes de Boas Notícias não deveriam ser permitidos em escolas públicas porque são uma ferramenta usada por fanáticos evangélicos para fazer proselitismo e doutrinar crianças jovens em sua visão extremista de mundo”.

A porta-voz do Templo Satânico diz que o grupo está “trabalhando na criação de um programa de voluntariado para os cursos infantis para o ano letivo 2017-2018, que permitirá que os voluntários estabeleçam os clubes em suas escolas”.

Questionado, o grupo não confirmou se obteve permissão oficial de alguma escola para a criação dos grupos no próximo ano letivo, que começa em setembro.

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: G1

5 comentários

  1. Pr. Carlos disse:

    Cada vez mais clara a enorme luta contra o padrão judaico-cristão. Ora, vejamos: o diabo veio para matar, roubar e distruir. Então, essas “classes” estariam ensinando isso, além do mais: aceitar homossexualismo, pedofilia, roubo, assissinato, estupro, corrupção, etc (pois tudo isso é obra do diabo).

  2. MILSON disse:

    Para resolver este impasse, cria uma lei para proibir satanismo à menores de idade.

  3. mauro disse:

    OLHA O QUE A ESQUERDA DIABÓLICA ENSINAM PARA AS CRIANÇAS…… …QUE EXTERMINAR COM ESSAS FORÇAS QUE DESTROEM AS FAMÍLIAS E MATAM POPULAÇÕES INTEIRAS PRA ALCANÇAREM SEUS MAUS INTENTOS …….NÃO VAMOS DEIXAR ……VAMOS DESTRUÍ-LOS PELA RAIZ………….CUIDADO COM SUAS CRIANÇAS E CUIDEM-SE.
    ..

  4. Manoel disse:

    “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus” Rom. 10:17. Coisas como estas ACIMA são as que eles estão vendo e ouvindo nos dias atuais. Os americanos, até pouco tempo, eram de maioria cristã evangélico, hoje, estão se rendendo ao catolicismo, a ICR evangeliza? Esperar o que?

  5. Luciana Metzner disse:

    Gente! Pra que adorar ou ver coisas horríveis como esta? Olha os chifres, a cara de bode e a fisionomia de cruel, malévolo e tudo do que é repugnante. Faça-me o favor! O inteligente vê o mal e se desvia. O mundo tá doido mesmo! Expulsa esse maligno e seus seguidores, em Nome de JESUS CRISTO!!

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*
*

Você tem caracteres para usar.