Mundo

Trump deve por fim ao ‘acordo’ com Cuba sem abertura do regime

No domingo, o futuro chefe de gabinete, Reince Priebus, disse que Trump esperará "alguns movimentos" do governo de Cuba para decidir como serão as relações

No domingo, o futuro chefe de gabinete, Reince Priebus, disse que Trump esperará “alguns movimentos” do governo de Cuba para decidir como serão as relações

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta segunda-feira (28) que porá um fim ao “acordo” com Cuba se o governo da ilha comunista não promover a abertura do regime.

“Se Cuba não está disposta a fazer um acordo melhor para o povo cubano, e os cubano-americanos em seu conjunto, porei um fim no acordo”, tuitou o magnata.

Durante as primárias, Trump foi o único candidato republicano que apoiou a abertura com Cuba, mas, em sua busca por votos na Flórida nas eleições gerais, prometeu que “revogaria” as medidas executivas do presidente Barack Obama, “a não ser que o regime dos Castro” restaurasse “as liberdades na ilha”.

O futuro chefe de gabinete, Reince Priebus, disse no domingo que Trump esperará “alguns movimentos” do governo de Cuba para decidir como serão as relações. Se nada ocorrer, o republicano reverterá a aproximação iniciada em 2014.

“Não vamos ter um acordo unilateral com Cuba sem algumas mudanças no governo”, indicou Priebus em entrevista à FoxNews, após citar temas como a repressão, presos políticos e liberdades na ilha.

Ao comentar a morte de Fidel, Trump chamou o ex-líder cubano de “brutal ditador” e prometeu que seu governo “fará o possível para garantir que o povo de Cuba possa iniciar finalmente o caminho em direção à prosperidade e à liberdade”.

Em comunicado, Trump disse que Fidel “oprimiu seu próprio povo” e deixou um “legado de fuzilamentos, roubo, sofrimento inimaginável, pobreza e negação de direitos humanos fundamentais”.

Desde dezembro de 2014, os governos de Obama e Raúl Castro restabeleceram as relações diplomáticas, abriram embaixadas nas respectivas capitais e retomaram os voos comerciais diretos entre os dois países. No entanto, o presidente democrata não conseguiu apoio suficiente no Congresso, controlado pelos republicanos, para derrubar o embargo imposto à ilha.

Deixe o seu comentário no Verdade Gospel.

Fonte: Veja

4 comentários

  1. levi varela disse:

    Cuba viveu na dependência de idiotas que queriam bancá-lo, como: URSS, Hugo Chaves e Brasil. Doma o povo e quer se passar por bom. Internet prova que a vida antes era superior a centenas de países, potência até. Ele derrubou Fulgêncio, tornou-se outro ditador, come o doado e fez o povo pobre.

  2. Gustavo Monteiro disse:

    Como é forte o poder de Deus. Foi só Fidel Castro cogitar de abrir a ilha ao islamismo, conforme notícia do portal Verdade Gospel, que as portas do inferno se abriram para ele. Eis o aviso de Deus para Raul Castro para que restitua o direito de culto a Deus na ilha. O próximo da lista é ele.

  3. amauri oliveira disse:

    O Presidente Trump esta mais do correto! pois somente lideres de esquerda, como o proprio papa e o pseudo presidente obama, promovem acordo sem negociar nenhuma contrapartida?

  4. Manoel disse:

    Com a morte do Fidel, ouvi alguns entrevistados cubanos dizerem “ele foi um pai para nós” Quem é bobo para se pronunciar diferente com o Raúl Castro no poder? Creio que só serão aceitos pelos EUA, quando se tornarem uma democracia, o regime de Cuba é assassino, o Obama, é muito “bonzinho”

Comentários encerrados.